Pesquisar

“Dá-me dessa água”

Nos três domingos que antecedem a Semana Santa, aparece o tema batismal com os símbolos da Água, no diálogo com a Samaritana, da Luz, na cura do cego, e da vida, na ressurreição de Lázaro. A Quaresma é tempo de preparação para a renovação das promessas batismais.

Na 1ª leitura (Ex 17,3-7), o povo no deserto reclama revoltado contra Moisés, pedindo água, para manter-se vivo: “Dá-nos água para beber…”. Deus intervém, fazendo brotar milagrosamente água da rocha de Horeb. Moisés é imagem de Cristo, que no futuro dará a água da vida, que é o Espírito Santo.

Na 2ª leitura (Rm 5,1-2.5-8), São Paulo reafirma que Deus derrama sempre seu Amor em nossos corações, como aconteceu com a Samaritana.

No Evangelho (Jo 4,5-42), Jesus cansado e sedento, senta-se ao lado do poço de Jacó. Uma mulher anônima, com o balde vazio, busca água… Jesus quebra preconceitos de raça, de sexo, de religião, e toma a iniciativa: “Dá-me de beber”. Do diálogo nasce a mútua compreensão. A mulher descobre em si mesma uma sede profunda de amor, pois apesar dos 5 maridos que já tivera, vivia um grande vazio. E Jesus se revela como água viva, capaz de saciar qualquer sede humana. No final ela pede: “Dá-me dessa água”. Ela reconhece Jesus como o Templo onde Deus “deve ser adorado em Espírito e Verdade”. Abandona o “velho balde” e corre para a cidade, para anunciar aos samaritanos a verdade que tinha encontrado. Essa água nos faz pensar também no Batismo, que foi o nosso primeiro encontro com Jesus.

Fraternidade e Fome: sede e fome, água e pão! Ninguém ser humano pode ser privado desses elementos essências para a sobrevivência.

Bom domingo!
Deus te abençoe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

plugins premium WordPress