Santos como o Pai

Reflexões de dom Amilton Manoel da Silva, CP, para o 7º domingo do Tempo Comum.

Neste domingo, continuaremos o Sermão da Montanha, onde Jesus nos coloca a essência do seu ensinamento: o amor. Já no Antigo Testamento encontramos o mandamento do amor:

1ª leitura (Lv 19,1-2.17-18). “Não guardes ódio no coração contra teu irmão”, “não procures vingança, nem guardes rancor aos teus compatriotas”, “amarás o próximo como a ti mesmo.” O texto esclarece que a “santidade” que o Senhor exige se manifesta no amor ao irmão. Mas, na prática, o amor ao próximo se limitava só para os compatriotas.

A 2ª leitura (1Cor 3,16-23) diz que isso é uma loucura para os homens, mas é “Sabedoria” para Deus.

O Evangelho (Mt 5,38-48) apresenta mais dois exemplos (antíteses), que mostram a novidade de Jesus em relação à antiga Lei: Perdão x vingança, Amor x Ódio. Perdão: “Ouvistes: Dente por dente, olho por olho…” e Jesus nos desconcerta: na violência física, dar a outra face. Na injustiça econômica, dar a veste. No abuso do poder, andar outros 2 km. No empréstimo, dar e emprestar a quem pedir. O perdão corta o mal pela raiz, extinguindo a maldade e o ressentimento. Amor aos inimigos: “Ouviste o que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.” Eu, porém, vos digo: “Amai os vossos inimigos, e rezai pelos que vos perseguem.”. Jesus ampliou as dimensões da caridade: amar até os inimigos, porque uns e outros são filhos de Deus, irmãos, e por isso devem imitar o Pai: “Sede santos como o Pai…”.

Temos buscado a santidade, dom de Deus, através da prática do amor?

Bom domingo!
Deus te abençoe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimas Notícias

plugins premium WordPress